Assistência à SaúdeNotícias

Centro Odontológico do Hospital do Policial Militar Lança Programa De Ortodontia Preventiva E Interceptativa (POPI)

O Centro odontológico do Hospital do Policial Militar (HPM), através do departamento de ortodontia, lança o POPI – Programa de Ortodontia Preventiva e Interceptativa, que visa realizar o acompanhamento de crianças de idade mais precoce para detectar problemas odontológicos, com o objetivo de minimizar os problemas ortodônticos referentes ao desenvolvimento esquelético dessa etapa.

Em entrevista com Major Nélia, odontóloga responsável pelo Departamento de Ortodontia do HPM, o POPI irá funcionar por meio do departamento de Ortodontia e, segundo ela:

“O principal objetivo desse programa é acompanhar as crianças desde a idade mais precoce até os 9 anos e 12 meses, para que possamos detectar e, se necessário, intervir em algumas alterações que poderão provocar problemas mais sérios no futuro. Assim, a ideia é tentar eliminar completamente ou minimizar os problemas ortodônticos, diretamente ligados aos dentes, e também, desarmonias faciais, referentes ao desenvolvimento esquelético da criança.”

Em seus 15 anos de existência, o Departamento de Ortodontia vem atendendo pacientes com as mais diversas idades e necessidades, que ingressaram através de listas de espera. O POPI, entretanto, chegou com um propósito preventivo, voltando sua atenção de forma especial às crianças. As triagens já iniciaram em outubro último com sucesso.

“Estou entusiasmada com o envolvimento dos pais, comprometidos em permitir o acompanhamento dessas crianças que são, sem dúvida, o nosso maior tesouro.  Os frutos que esperamos colher no POPI são bocas saudáveis e sorrisos lindos.”  Descreve ela.

O POPI complementa o Programa de Prevenção do Departamento de Odontopediatria unindo forças para elevar o nível da Odontologia da Polícia Militar de Goiás. Mais que nunca, os serviços de saúde estão focados na prevenção de doenças, sendo essa uma tendência global, principalmente no setor público.

Detecção de hábitos deletérios e problemas funcionais – abordagem multiprofissional

Quando o assunto é prevenção, quanto mais cedo o paciente for atendido no programa, mais sucesso será obtido. Alguns pontos são fundamentais, dentre eles o acompanhamento da formação e troca dos dentes, monitoramento do desenvolvimento craniofacial, além da detecção de hábitos deletérios, tais como, uso prolongado da chupeta, sucção digital, roer unhas, bruxismo entre outros. Além disso, Major Nélia destaca:

“Quando suspeitamos de alterações no padrão respiratório, de fonação e de deglutição, mesmo se a criança for muito pequena, já é possível iniciar a abordagem orientando os pais e realizando encaminhamentos para os profissionais competentes nessas áreas. Imaginemos um paciente que tem um padrão respiratório bucal, o que é muito comum em nossa região devido ao clima seco, e que os pais ainda não tenham sido orientados a respeito. Nesse exemplo, o paciente será encaminhado para um otorrinolaringologista, profissional responsável por essa área, para que realize o tratamento adequado. Muitos pais nem imaginam o quanto uma alteração na respiração do seu filho pode comprometer o desenvolvimento da sua face. Outros profissionais também podem ser acionados dentro da abordagem multiprofissional do programa, além do otorrinolaringologista, como por exemplo o fonoaudiólogo, o endocrinologista, o psicólogo e até outras especialidades odontológicas.”

Como a criança entra no popi

A entrada do paciente no programa se dá através do Departamento de Odontopediatria. Assim, ele terá sua vaga garantida e continuará sendo acompanhado periodicamente até a idade de 9 anos e 12 meses. Ao completar 10 anos, caso seja necessário o uso do aparelho fixo, a criança será transferida para a Ortodontia Corretiva e seu tratamento terá sequência sem precisar ir para filas de espera.

Considerando que o POPI poderá diminuir a necessidade de tratamentos complexos e demorados, espera-se uma agilidade no fluxo de pacientes dentro do Departamento de Ortodontia da HPM, o que facilitará o acesso de um maior número de pacientes ao serviço, apesar do número reduzido da equipe “o que nos limita bastante. Sempre contamos com abertura de novos concursos e com a expansão do Quadro de Saúde para minimizar o gargalo das filas de espera”, relata a chefe do Departamento de Ortodontia.

Ortopedia facial

Dentro da especialidade de Ortodontia existe uma área chamada Ortopedia Facial dos Maxilares que se dedica ao crescimento e desenvolvimento ósseo. Os tratamentos ortopédicos são indicados para pacientes jovens que possuam alguma alteração do desenvolvimento craniofacial. Algumas dessas alterações estão ligadas a um padrão familiar (hereditariedade) e outros podem ser provocados por maus hábitos, postura errada e problemas funcionais. Como os pacientes começam a ser monitorados ainda bem pequenos dentro do POPI, é possível diagnosticar precocemente as desarmonias faciais e iniciar o tratamento no momento ideal. Muitas vezes, o tratamento ortopédico associado ao tratamento ortodôntico, pode prevenir cirurgias ortognáticas no futuro. Por esse motivo, sempre vale muito a pena investir em tratamentos precoces.

Atendimento odontológico durante a pandemia

Durante a pandemia ocasionada pela COVID-19, os cuidados nos atendimentos odontológicos no HPM foram redobrados, tendo em vista que a Odontologia é uma área bem complexa no que diz respeito à contaminação. O serviço permaneceu suspenso seguindo a ordem estabelecida no Decreto Estadual. Ao retornar as atividades, diariamente, é realizada uma triagem na recepção da Odontoclínica, com uma anamnese específica para COVID-19, a temperatura é aferida e o uso de máscara é obrigatório, sendo retirada somente no momento do atendimento. Dentro do consultório, os cuidados com a limpeza e desinfecção das superfícies foram intensificados, houve um aumento dos intervalos entre os pacientes e redução da circulação de pessoas dentro do ambiente. Quanto a isso, Major Nélia, acrescenta:

“Esse medo é compreensível e muito natural. Todos nós ficamos muito impactados, principalmente no início da pandemia. Como os pacientes em tratamento ortodôntico exigem manutenções mensais, tivemos a necessidade do retorno imediato logo após a liberação do decreto. Estamos atendendo desde maio, e nosso índice de faltas está dentro do normal, sinalizando que estamos indo bem.

Graças à Fundação Tiradentes, contamos com uma boa infraestrutura de Equipamento de Proteção Individual (EPI) para toda a equipe, insumos e instrumentais, possibilitando kits esterilizados para todos, desde bandejas até alicates ortodônticos. A COVID-19 veio para reforçar que os cuidados com a biossegurança e treinamento da equipe são fundamentais na prevenção de doenças infectocontagiosas.”

O POPI e a adesão dos pais

Para funcionar, o POPI conta com a adesão dos pais, que quando comprometidos com a saúde dos filhos são os maiores aliados para o serviço. Face a isso, futuramente, após a Pandemia, existe a possibilidade da oferta de palestras educativas no HPM, abordando assuntos interessantes de diversas áreas de saúde.

“Acredito plenamente que plantamos uma semente muito especial e que colheremos resultados em um futuro não muito distante. Apostar em prevenção de problemas de saúde deveria ser o foco sempre. Mas sabemos que nem sempre conseguimos chegar a tempo. Particularmente, já aguardava ansiosa o momento em que seria possível dentro da rotina do Departamento de Ortodontia reservar um espaço para esse programa”, finaliza Major Nélia – Chefe do departamento de Ortodontia do HPM.

 

 

 

 

 

Maiores informações sobre o Programa de Ortodontia Preventiva e Interceptativa, entre em contato através dos números: (62) 3235-6124 ou 3235-6213.

Fonte: Comunicação/FT

TAGS

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Botão Voltar ao topo