Assistência à SaúdeCovid19Notícias

Atuação do Serviço Multiprofissional (Laboratório Clínico) do HPM no Contexto da Pandemia

O Hospital do Policial Militar (HPM), oferece ao policial militar e seus dependentes, beneficiários da Fundação Tiradentes, acesso ao serviço multiprofissional, conhecido também como Laboratório Clínico Cel. Vasco Martins Cardoso, o qual oferece atendimentos em diversas áreas como Enfermagem, Serviço Social, Farmácia e Educação Física.

A Fundação Tiradentes, realizou entrevista com o chefe do Serviço Multiprofissional do Comando de Saúde da Polícia Militar do estado de Goiás (PMGO), Tenente Coronel QOSPM Sérgio Henrique Nascente Costa, primeiro Tenente Coronel Biomédico da PMGO e responsável técnico do Laboratório Clínico do HPM, para conhecer mais sobre a área e as mudanças realizadas durante a pandemia da COVID-19.

 

ADAPTAÇÕES E ATUAÇÃO DO HPM FACE À COVID-19

O serviço multiprofissional do HPM envolve os departamentos de laboratório clínico, de Enfermagem, de Serviço Social, de Farmácia e de Educação Física. Com a chegada da pandemia da COVID-19, o laboratório de análises clínicas passou por adaptações e mudanças de rotina, devido a possibilidade de contaminação, principalmente durante os procedimentos de coleta.

De acordo com o TC Sérgio Nascente, uma das situações que foram adaptadas foi a própria coleta das secreções. O exame Sars-Cov-2 – swab nasal para a realização do RT-PCR, considerado “padrão ouro” atualmente, para detecção do coronavírus, passou a ser realizado em um espaço aberto e reservado, no intuito de favorecer a segurança dos pacientes e também dos técnicos, profissionais diretamente envolvidos nos procedimentos.

Estima-se que “os exames laboratoriais auxiliam, até do ponto de vista estatístico, em torno de 70% das decisões médicas, o que traz uma responsabilidade muito grande para o setor”, destaca TC Nascente.

Por este motivo, após a publicação do Decreto que dispôs sobre a decretação de situação de emergência na saúde pública do Estado de Goiás (nº 9.633, de 13 de março de 2020), “buscamos um local que realizasse o exame RT-PCR para Covid-19, e foi um momento difícil, em virtude dos laboratórios de apoio, que tínhamos contrato, e que não estavam ainda estruturados para a demanda necessária, o que acontecia não somente em âmbito local, mas em escala regional e nacional “, acrescentou ele.

No ano de 2020, foram realizados no HPM, cerca de “7.600 exames RT-PCR , para o diagnóstico da Covid-19, além de vários outros, necessários para acompanhamento da infecção e demais enfermidades”, informou o chefe do serviço multiprofissional. A realização desses exames foi possível, face a parceria firmada entre a Fundação Tiradentes/HPM com o laboratório de apoio Hlagyn, feita em meados de abril.

O laboratório parceiro, HLAGYN – Laboratório de Imunologia de Transplantes  de Goiás, presta serviços às prefeituras de Aparecida de Goiânia e Goiânia, e apresenta uma resposta muito rápida quanto aos resultados, que são liberados em menos de 24 horas. Sendo assim, esse serviço, “favorece na rapidez do diagnóstico, do isolamento, e isso reflete na diminuição da possibilidade de transmissão” – acrescenta o profissional biomédico

Vale destacar, também, que a logística implementada, proporcionou uma resposta muito rápida no que diz respeito às coletas e resultados do RT-PCR, voltada aos policiais militares do estado de Goiás e seus dependentes legais.

Além do RT-PCR, também foram realizados os testes rápidos para detecção de anticorpos, que identificam a resposta imunológica do indivíduo frente ao vírus. De acordo com o TC Nascente, ao longo do ano “foram realizados mais de 12.000 desses testes, que são mais utilizados na fase de levantamento epidemiológico e também na verificação de desenvolvimento de anticorpos e possível imunidade contra o coronavírus”.

Paralelo a isso, além dos exames relacionados ao desenvolvimento de respostas imunes à Covid-19, no ambulatório do próprio HPM foram iniciados os exames de acompanhamento dos pacientes detectados como positivos. Esses exames complementares verificam a condição de saúde e que tipos de alterações são provocadas no organismo do indivíduo infectado. Então, nesses casos são providenciados os exames clássicos, tais como, provas de função hepática, hemograma, hemostasia (tempo e atividade de protrombina, D-Dímero e fibrinogênio), enzimas musculares, proteína C reativa, ferritina, entre outros utilizados nesse contexto.

 

FORÇA-TAREFA NO HPM COM ALUNOS DA FPM E UFG

Durante a pandemia, foi necessário amplificar o atendimento no Hospital do Policial Militar (HPM). Por este motivo, foram convocados nove alunos da Faculdade da Polícia Militar (FPM) dos três cursos ofertados pela instituição. Os alunos do curso de biomedicina, atuam no laboratório, seja na recepção, como também na coleta, o que foi possível, após treinamento e devida preparação, contribuindo assim, com os demais profissionais do hospital, em virtude da pandemia, onde o número de clientes teve aumento significativo.

Os acadêmicos do curso de Educação Física, por sua vez, operam na recepção e também no TAF – Teste de Aptidão Física do Centro de Saúde Integral do Policial Militar, serviço este que, por um período esteve suspenso, porém com previsão de retorno em condições seguras, para alguns casos específicos. Quanto aos discentes do curso de Enfermagem, estes dão suporte na triagem do pronto-atendimento médico. Além dos estudantes da FPM, também foram selecionados dez alunos da Universidade Federal de Goiás (UFG), na fase de estágio obrigatório do curso de Biomedicina.  Quanto a isso, Tenente Coronel Nascente, completa:

A atuação nesse processo, cada um cumprindo suas demandas, mediante a área do curso, face o contexto da pandemia, viabiliza, não somente a experiência técnica, mas uma formação diferenciada para o mercado de trabalho.”

 

PROJETO DE PESQUISA EM PARCERIA COM UNIVERSIDADE DA HOLANDA

A Faculdade da Polícia Militar – FPM, além de disponibilizar seus acadêmicos para atuação no HPM, estabeleceu parceria com a Universidade Radboud da Holanda, através de termo de cooperação com a Fundação Tiradentes, para a realização de um projeto de pesquisa que envolve docentes e alunos.

O projeto de pesquisa visa avaliar a eficácia da imunidade cruzada existente na vacina BCG, possibilitando uma melhor resposta à infecção pelo Sars-Cov-2. De acordo com o Tenente Coronel Nascente:

“a captação e a coleta de material biológico foram realizadas em mais de 500 indivíduos, para avaliação da resposta imunológica desses pacientes frente à pandemia e também para estudos genéticos, na verificação do perfil genético que colabora para menor ou maior gravidade da infecção, com o objetivo de contribuir no entendimento e todo o contexto dessa nova doença que ainda detém muitas interrogações.

 

A BIOMEDICINA E SUA IMPORTÂNCIA MEDIANTE À COVID-19 E OUTRAS DOENÇAS

A Biomedicina passou por um grande processo de crescimento e reconhecimento ao longo dos anos. Um curso que se apresentou à sociedade nas décadas de 1980 e 1990, tendo como carro-chefe a área da patologia clínica. Nessa época, havia ainda um desconhecimento da profissão, como se sua única habilitação fosse voltada pura e simplesmente às análises clínicas.

Os profissionais biomédicos, no início também atuavam na docência, ministrando aulas em vários cursos da área de saúde, inclusive da medicina, nas disciplinas de fisiologia, bioquímica e biofísica, por exemplo. Então, a partir das análises clínicas, a profissão percorreu outros caminhos, como a fisiologia do exercício, a imagenologia ou diagnóstico por imagem.

Durante a pandemia da COVID-19, a biomedicina contribuiu muito através da pesquisa em técnicas moleculares, estudos genéticos, entre outros. O biomédico consegue atuar de forma efetiva em diversas situações, tais como, no diagnóstico molecular, na produção de vacinas, em bancos de sangue, no acompanhamento de pacientes em ambientes hospitalares com a realização de exames etc. De acordo com as últimas pesquisas realizadas,  a Biomedicina é uma das profissões mais procuradas no cenário atual, conforme matéria publicada anteriormente no site Guia da Carreira.

O primeiro Tenente Coronel Biomédico da PMGO, ressalta que:

“Após 30 anos de profissão, percebo que o biomédico é aquele profissional que, embora nem sempre se enxergue a participação dele, em vários locais, aqui no laboratório do HPM possui uma atuação reconhecida junto às equipes de saúde da PM como um todo, e no serviço multiprofissional, ele se tornou protagonista.”

 

GESTÃO DA FUNDAÇÃO TIRADENTES E PARCERIAS FEITAS EM TEMPOS DE PANDEMIA

A Fundação Tiradentes, por sua vez, deu todo o suporte necessário ao HPM e, por conseguinte, ao Laboratório Clínico Cel. Vasco Martins Cardoso, fornecendo paramentos e EPIs, proporcionando assim, uma segurança maior aos profissionais de saúde da instituição. Dessa forma, mais uma vez a Fundação Tiradentes, junto ao Comando de Saúde, comprova seu compromisso e responsabilidade no atendimento e suporte aos seus beneficiários, mesmo em tempos de pandemia.

 

Fonte: Comunicação/FT

TAGS

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Botão Voltar ao topo