Lançada ferramenta 24 horas para diagnóstico de COVID-19 exclusiva a policiais militares goianos

Foi ativada no dia 27 de março uma modalidade de atendimento ininterrupto relacionado à pandemia de COVID-19, exclusiva aos mais de 13 mil policiais militares goianos. Trata-se de um atendimento remoto para avaliação inicial de sintomas e orientações primeiras de tratamento.

Instantâneo, com resposta a qualquer hora do dia e da noite, o recurso tem como base um aplicativo disponível na página do Hospital da Polícia Militar (HPM). O aplicativo é a terceira opção para esse atendimento relacionado à pandemia (veja as outras modalidades ao final do texto).

A ferramenta foi disponibilizada pela Fundação Tiradentes, instituição que mantém o HPM com recursos do Fundo de Assistência Social (FAS). O aplicativo foi desenvolvido pela startup goiana Mindify, que produziu um protocolo com questões para triagem e diagnóstico do coronavírus, e que já forneceu o mesmo recurso à Federação das Unimeds de São Paulo/SP.

Utilizando inteligência artificial, o aplicativo é alimentado com dados da COVID-19 e possibilita direcionar o atendimento e triar pacientes com suspeita da doença, evitando exposição e ida aos hospitais e a qualquer hora. Durante a triagem, o PM é orientado intuitivamente a selecionar opções de respostas que sinalizam se ele é ou não um caso suspeito. Na ferramenta, são disponibilizadas para seleção opções com os sintomas e condições importantes, tais como proximidade com casos confirmados ou suspeitos de coronavírus.

Para acessar a ferramenta, o militar deve entrar no site por qualquer dispositivo de acesso, inclusive celular, buscar o banner “Aplicativo” e inserir os números de RG e CPF nos campos indicados. Depois, basta seguir as orientações do aplicativo. O PM pode acessar o aplicativo várias vezes, sempre que sentir necessidade.

Durante esse autoatendimento, se as respostas do paciente indicarem diagnóstico positivo para a doença, o primeiro contato direto com um profissional de saúde do HPM será através de vídeo-chamada ou por telefone. Essa alternativa encurta drasticamente o tempo de espera e reduz risco de transmissão e de estresse, uma vez que o paciente não precisará permanecer em uma fila de espera para ser atendido.

No caso de ser indicado o afastamento do PM, a entrega do atestado médico seguirá a orientação do médico que finalizar o teleatendimento, podendo ser presencial.

Reforçando, a ferramenta está disponível no site https://hpm.org.br/

Modalidades

Com o aplicativo, ficam instituídas três modalidades de atendimento aos beneficiários da Fundação Tiradentes a respeito do COVID-19.

A primeira modalidade de atendimento é presencial, menos recomendada pela maior exposição, embora o HPM tenha sido adaptado para atendimento em área externa e ventilada, onde inclusive foi instalado um lavatório para a higienização das mãos. O atendimento presencial ocorre das 7h00 às 19h e é oferecido para o pessoal da ativa, da reserva e os dependentes.

Outra modalidade foi a implantação do Teleatendimento através de dois números de telefone também das 7h00 às 19h e acessível para PMs da ativa, da reserva e os dependentes. Nessa modalidade, que faz um tipo de triagem, o policial fala por telefone com profissionais do quadro de saúde do HPM (enfermeiros, dentistas, médicos) relata sintomas, tira dúvidas e, conforme o caso, ou o atendimento é encerrado por não se enquadrar na sintomatologia da doença, ou o paciente é direcionado para conversar com um médico infectologista responsável pelo acompanhamento efetivo de casos do coronavírus.

Saiba como acessar o aplicativo

Além disso verifique

Novos agasalhos para o frio, entregues pela Fundação Tiradentes, têm norma obrigatória de uso

Os agasalhos para o frio, entregues pela Fundação Tiradentes, conforme especificado na versão atual do ...